A IMPORTÂNCIA DA LEITURA NA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO CIDADÃO AUTÔNOMO E CRÍTICO NO MUNDO GLOBALIZADO

Uma leitura eficiente na sociedade do conhecimento prevê que: “o ser humano precisa realizar leituras diversificadas e de qualidade para sobreviver na era da globalização. Exercer o hábito da leitura se faz necessário e urgente diante de tantas informações que chegam rapidamente até nós (Carvalho et. al., 2006, p. 20).

A leitura é importante desde a educação infantil, onde as crianças terão seu primeiro contato com esse mundo do conhecimento, para que assim a prática da leitura se torne um hábito cotidiano e assim as crianças possam ampliar seus conhecimentos possibilitando um leque de informações sobre o meio social, educacional e familiar. Pesquisas apontam que crianças onde têm maiores interações em casa, seu potencial é bem mais elevado no processo formativo educacional, dentro desse contexto a participação da família é fundamental para o desenvolvimento educacional da criança, ou seja, atividades corriqueiras do dia a dia no seio familiar podem ter grande influência e assim a criança pode desenvolver o hábito da leitura na sua vida escolar. Nesse processo de ensino aprendizagem o professor tem o papel fundamental por ser o mediador do conhecimento. Diante disso, a escola deve buscar conhecer e desenvolver na criança as competências da leitura e da escrita e como a literatura infantil pode influenciar de maneira positiva neste processo (Bakhtin, 1992). Dessa forma, habilidade na escrita e ampliação no vocabulário será positiva para a criança em elevado grau, podendo alcançar nível superior.

Segundo Cardoso (2012) a escola precisa desenvolver capacidades relacionadas à compreensão, à interação e à interpretação. É preciso que o sujeito aprenda desde pequeno para que serve a leitura, nas mais diversas instâncias e, ao mesmo tempo, aprofunde e aprimore este conhecimento na escola.

 

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA NO ENSINO SUPERIOR

A vida acadêmica é permeada por grandes desafios, ao adentrar no Ensino Superior muitos alunos desistem no meio do caminho por vários motivos, e um dos principais é a ausência do hábito da leitura. É fundamental na vida de qualquer universitário, independente do curso ou instituição, estar constantemente dedicado a ler e compreender, o que é totalmente diferente de somente ler. Em se tratando de leitura é necessário ir bem mais além, um grande problema que se tem enfrentado e observado no âmbito superior, é o analfabetismo funcional. Os discentes, de um simples texto, não conseguem subtrair informações importantes. A respeito do analfabetismo funcional pode-se dizer o seguinte:

Termo que se refere ao tipo de instrução em que a pessoa sabe ler e escrever, mas é incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e a escrita em atividades cotidianas. Ou seja, o analfabeto funcional não consegue extrair sentido das palavras nem colocar ideias no papel por meio do sistema de escrita, como acontece com quem realmente foi alfabetizado. (MENEZES, 2001, p.)

Nota-se que não é só simplesmente ler, mas também ser possível ao leitor uma total compreensão diante de qualquer leitura realizada, vale ressaltar que quanto mais se desenvolve o hábito da leitura, mas fácil se torna resolver problemas tanto dentro da academia, como fora dela, a leitura abre portas para o mundo e para a imaginação, despertando e estimulando nosso senso crítico.

O ato da leitura representa um processo fundamental na vida acadêmica, que requer o uso frequente desse expediente, pois, a mesma “[..] contempla uma necessidade, que pode ser profissional, existencial ou a simples necessidade do prazer de ler” (CARAVANTES, 2006, p. 25).

Como já salientado não se deve entender aqui, que o hábito de ler se limita somente ao meio acadêmico, esse hábito que se torna constante entre estudantes e professores, deve ser imprescindível na vida de qualquer ser humano que esteja apto a descobrir e a buscar novos conhecimentos.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BAKHTIN, Mikhail V. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes 1992

CARDOSO, Bruna Puglisi de Assumpção. Práticas de linguagem oral e escrita na educação infantil. São Paulo: Editora Anzol, 2012.

CARAVANTES, Geraldo Ronchetti. Leitura dinâmica e aprendizagem. 2. ed. Porto Alegre: AGE, 2006.

CARVALHO, Lafaiete da Silva et al. A Leitura na sociedade do conhecimento Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 11, n. 1, p. 19-27, jan./jul. 2006. Disponível em: < http://revista.acbsc.org.br/index.php/racb/article/view/459/576&gt;. Acesso em: 27 jul. 2018

MENEZES, E. T.; SANTOS, T. H. Verbete analfabetismo funcional. Dicionário Interativo da Educação Brasileira – Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2001.  Disponível em: <http: http://www.educabrasil.com.br/analfabetismo-funcional/>. Acesso em: 27 jul. 2018.

Anúncios

O FOLCLORE COMO MANIFESTAÇÃO DO SABER DO POVO

RESUMO

No final do século XVIII a cultura popular começou a despertar a atenção de intelectuais europeus. A Europa passava por transformações, e os intelectuais viram nas festas, poesias, danças, entre outros, uma forma cultural de preservação do espirito e da essência do povo. Na América, após o termo ter sido difundido, foi fundada a “American Folklore Society” (Sociedade Americana de Folclore), em 1888. A partir dessa época o estudo sobre o folclore passou a envolver os cantos, as crenças, os dialetos e etc., os usos e costumes, as narrativas, os contos e mitos, e outros.

Capturar

Texto de: Eliúde dos Santos Alves, Lucas Casemiro Soares Ferreira – Discentes do Curso de Licenciatura em Ciências Humanas com Habilitação em Sociologia; e Meubles Borges Júnior – Tutor do PET).

Texto completo: Informativo Ano 2 – 2-2016 – O Folclore e suas Expressões no Maranhão (1)

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA

Fonte: https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSU5nTVtasCqNUoITl3aREeSD-Ig_Xs4KdfnZ9yXopMWJLXStqs

(Por: Sávio Nascimento Lago – Aluno do Curso de Ciências Humanas e Meubles Borges Júnior Tutor do PET).

O presente artigo aspira abordar uma questão pertinente nos dias atuais “Intolerância religiosa”, a primeira palavra é geralmente associada à segunda para caracterizar atitude odiosa e agressiva daqueles que possuem diferentes opiniões, uma vez que a segunda alude princípios, crenças e/ou rituais particulares a um grupo social, determinado de acordo com certos parâmetros, concebidos a partir do pensamento de uma divindade e de sua relação com o indivíduo. Duas palavras que durante décadas vem constituindo Continuar lendo

Descarte Inadequado Dos Resíduos Sólidos Urbanos

(Por: Eleilde Almeida Araújo – Discente do Curso de Ciências Naturais; e Meubles Borges Júnior – Tutor do PET)

Comemora-se no mês de junho a semana mundial do meio ambiente, que tem por finalidade apoiar a participação da comunidade sensibilizando na preservação do patrimônio natural do nosso país, dando a importância aos cuidados com o meio ambiente para a melhoria da qualidade de vida.

O meio ambiente pode ser considerado como Continuar lendo

FOLCLORE MARANHENSE

Por: Eliúde dos Santos Alves, Lucas Casemiro Soares Ferreira – Discentes do Curso de Licenciatura em Ciências Humanas com Habilitação em Sociologia; e Meubles Borges Júnior – Tutor do PET.

No final do século XVIII a cultura popular começou a despertar a atenção de diversos intelectuais europeus. Nessa época a Europa passava por diversas transformações, e os intelectuais viram nas festas, poesias, danças, entre outros, uma forma cultural de preservação do espirito e da essência do povo.

Em 1848 o arqueólogo inglês William Jonh Thoms propôs, em uma carta publicada na Revista The Atheneum, o termo folk-lore (“saber tradicional do povo”) para designar os estudos das antiguidades populares. A partir disso o termo Continuar lendo

Alimentação Saudavél

Tecnologias para alimentos e a segurança alimentar, tem como base a contribuição da pesquisa e do desenvolvimento tecnológico de alimentos, na promoção da segurança alimentar e no combate à desnutrição. Este tema está intrinsecamente ligado a todos nós, pois a alimentação, nada mais é, que uma atividade fundamental para o equilíbrio de nossas funções vitais.

É importante dizer que muito já foi feito para a melhoria da alimentação e melhoria do estado nutricional dos brasileiros, porém, é válido ressaltar Continuar lendo

ÁGUA: Recurso Essencial para a VIDA

22 de março Dia Mundial da Água: Em 2016 debateu-se sobre os impactos econômicos da gestão dos recursos hídricos.

O dia 22 de março é comemorado mundialmente como o dia Mundial da água. A data foi criada em 1993 em uma Assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU) para provocar reflexões sobre a relação de interação do homem com a água. Recurso natural essencial para a vida de todas as espécies que habitam o planeta, sua utilização ocorre nos mais diversos setores da sociedade: agricultura, indústrias, residências, dentre outros. Por ser então um bem indispensável à existência de vida na terra, é de suma importância sua correta utilização por nós, seres humanos. Nem toda a água existente no planeta é própria para o Continuar lendo