A IMPORTÂNCIA DA LEITURA NA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO CIDADÃO AUTÔNOMO E CRÍTICO NO MUNDO GLOBALIZADO

Uma leitura eficiente na sociedade do conhecimento prevê que: “o ser humano precisa realizar leituras diversificadas e de qualidade para sobreviver na era da globalização. Exercer o hábito da leitura se faz necessário e urgente diante de tantas informações que chegam rapidamente até nós (Carvalho et. al., 2006, p. 20).

A leitura é importante desde a educação infantil, onde as crianças terão seu primeiro contato com esse mundo do conhecimento, para que assim a prática da leitura se torne um hábito cotidiano e assim as crianças possam ampliar seus conhecimentos possibilitando um leque de informações sobre o meio social, educacional e familiar. Pesquisas apontam que crianças onde têm maiores interações em casa, seu potencial é bem mais elevado no processo formativo educacional, dentro desse contexto a participação da família é fundamental para o desenvolvimento educacional da criança, ou seja, atividades corriqueiras do dia a dia no seio familiar podem ter grande influência e assim a criança pode desenvolver o hábito da leitura na sua vida escolar. Nesse processo de ensino aprendizagem o professor tem o papel fundamental por ser o mediador do conhecimento. Diante disso, a escola deve buscar conhecer e desenvolver na criança as competências da leitura e da escrita e como a literatura infantil pode influenciar de maneira positiva neste processo (Bakhtin, 1992). Dessa forma, habilidade na escrita e ampliação no vocabulário será positiva para a criança em elevado grau, podendo alcançar nível superior.

Segundo Cardoso (2012) a escola precisa desenvolver capacidades relacionadas à compreensão, à interação e à interpretação. É preciso que o sujeito aprenda desde pequeno para que serve a leitura, nas mais diversas instâncias e, ao mesmo tempo, aprofunde e aprimore este conhecimento na escola.

 

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA NO ENSINO SUPERIOR

A vida acadêmica é permeada por grandes desafios, ao adentrar no Ensino Superior muitos alunos desistem no meio do caminho por vários motivos, e um dos principais é a ausência do hábito da leitura. É fundamental na vida de qualquer universitário, independente do curso ou instituição, estar constantemente dedicado a ler e compreender, o que é totalmente diferente de somente ler. Em se tratando de leitura é necessário ir bem mais além, um grande problema que se tem enfrentado e observado no âmbito superior, é o analfabetismo funcional. Os discentes, de um simples texto, não conseguem subtrair informações importantes. A respeito do analfabetismo funcional pode-se dizer o seguinte:

Termo que se refere ao tipo de instrução em que a pessoa sabe ler e escrever, mas é incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e a escrita em atividades cotidianas. Ou seja, o analfabeto funcional não consegue extrair sentido das palavras nem colocar ideias no papel por meio do sistema de escrita, como acontece com quem realmente foi alfabetizado. (MENEZES, 2001, p.)

Nota-se que não é só simplesmente ler, mas também ser possível ao leitor uma total compreensão diante de qualquer leitura realizada, vale ressaltar que quanto mais se desenvolve o hábito da leitura, mas fácil se torna resolver problemas tanto dentro da academia, como fora dela, a leitura abre portas para o mundo e para a imaginação, despertando e estimulando nosso senso crítico.

O ato da leitura representa um processo fundamental na vida acadêmica, que requer o uso frequente desse expediente, pois, a mesma “[..] contempla uma necessidade, que pode ser profissional, existencial ou a simples necessidade do prazer de ler” (CARAVANTES, 2006, p. 25).

Como já salientado não se deve entender aqui, que o hábito de ler se limita somente ao meio acadêmico, esse hábito que se torna constante entre estudantes e professores, deve ser imprescindível na vida de qualquer ser humano que esteja apto a descobrir e a buscar novos conhecimentos.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BAKHTIN, Mikhail V. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes 1992

CARDOSO, Bruna Puglisi de Assumpção. Práticas de linguagem oral e escrita na educação infantil. São Paulo: Editora Anzol, 2012.

CARAVANTES, Geraldo Ronchetti. Leitura dinâmica e aprendizagem. 2. ed. Porto Alegre: AGE, 2006.

CARVALHO, Lafaiete da Silva et al. A Leitura na sociedade do conhecimento Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 11, n. 1, p. 19-27, jan./jul. 2006. Disponível em: < http://revista.acbsc.org.br/index.php/racb/article/view/459/576&gt;. Acesso em: 27 jul. 2018

MENEZES, E. T.; SANTOS, T. H. Verbete analfabetismo funcional. Dicionário Interativo da Educação Brasileira – Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2001.  Disponível em: <http: http://www.educabrasil.com.br/analfabetismo-funcional/>. Acesso em: 27 jul. 2018.

Anúncios

Sobre meublesborges

Professor do Curso de Licenciatura em Educação do Campo. Graduação em Química Industrial. Mestrado e Doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas, as especificamente Química do Solo na Área de Meio Ambiente). Desenvolvo trabalhos na área de Educação Ambiental e Tecnologias Ambientalmente Saudáveis e de Baixo Custo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s