Entrevista com Prof. Dr. Elídio Armando

Por Daciano Ambrósio, Leila Mayanne e Tiago Rodrigues.

O professor Elidio Armando Exposto Guarçoni possui graduação em Ciências Biológicas pela Associação Universitária Santa Ursula (1991) e Mestrado em Botânica pela Universidade Federal de Viçosa (2008). É Doutor pela Universidade Federal de Viçosa (2014) e Professor auxiliar de Ciências Naturais da Universidade Federal do Maranhão – Campus III (Bacabal). Tem experiência na área de Botânica, atuando principalmente nos seguintes temas: taxonomia de Bromeliaceae e levantamentos florísticos.

PET: Na sua trajetória de vida em que momento e como se deu sua escolha profissional?

Prof. Elídio: Geralmente a escolha profissional de qualquer aluno se baseia nos professores que eles têm no ensino fundamental ou no ensino médio. Eu tive um professor no ensino médio, professor Cláudio de biologia. Era um garoto que estava começando a dar aula e ele foi assim, inspiração. Levava a gente para laboratório para fazer pesquisa. Então ali foi quando realmente optei por fazer biologia. Mas logicamente já vinha o embasamento familiar, meus pais sempre deram jogos, tanto para mim quanto para minha irmã, de pequenos cientistas. Então a gente já tinha aquela coisa de fazer ciência dentro de casa.

PET: Como foi sua primeira experiência profissional como professor?

Prof. Elídio: A primeira vez que eu pisei numa sala de aula, para dar aula, foi numa turma de terceiro ano do ensino médio, eu não tinha experiência nenhuma, era completamente tímido, tinha dificuldade de me expressar em público e medo. A gente tem medo. Mas com o tempo fui perdendo aquele medo, fui dando a aula normalmente. No começo temos dificuldade em dar aula porque nós não dominamos a matéria. Só com a experiência que a gente vai dominar a matéria. É a partir do momento que a gente domina a matéria que a gente vai começar a criar estratégias para poder dar aula. Eu não tinha nenhuma estratégia. Minha estratégia para dar aula foi a estratégia que eu aprendi com meus professores: é o que a gente chama de cuspe e giz, escrever no quadro e falar muito.

PET: Como foi sua vinda para o campus de Bacabal?

Prof. Elídio: Eu achei um concurso para o Maranhão e resolvi procurar dentro da minha área trabalhos científicos no Maranhão. Não achei quase nada, então eu virei para minha ex-esposa e falei para ela: “olha só, o Maranhão é o paraíso para os botânicos, não tem quase trabalho nenhum, é para lá que eu vou”. Eu fiz a prova, passei e foram me oferecidos vários campus para ir, eu peguei um mapa, pus o mapa na minha frente e fui ver os campus que tinham que eu poderia ir e eu vi que Bacabal ficava no meio do Maranhão, Bacabal é o coração do Maranhão, então eu optei por vir para Bacabal, por que de Bacabal eu estaria próximo de todos os locais do Maranhão.

PET: O senhor desenvolve algum projeto de pesquisa no campus?

Prof. Elídio: Eu desenvolvo dois projetos de pesquisa, um é mais amplo que é Bromélias do Maranhão, que a principal finalidade é fazer um levantamento do número de espécies de bromélias que ocorrem no Estado do Maranhão e o segundo é o Projeto Mata Ciliar do Rio Mearim no Município de Bacabal. Também estou envolvido na organização do herbário do campus, que hoje conta com 1500 exsicatas.

PET: Quais foram os responsáveis pela implantação do curso de biologia?

Prof. Elídio: Existem duas pessoas que a gente tem que agradecer muito. Uma é o diretor do campus, professor Marcio Camelo, que abriu as portas pra que a gente fosse conversar com a Pró-Reitora de ensino, Prof.a Dr.a Isabel Ibarra Cabrera. Nós temos que agradecer também muito a professora Isabel Ibarra, porque através de conversas, ela gostou da proposta da implantação do curso de Biologia aqui em Bacabal e acabou encampando essa proposta e ajudando muito a gente na implantação do curso de Biologia em Bacabal.

PET: O que o levou a lutar pela vinda do curso de biologia para o campus?

Prof. Elídio: Existem duas questões, uma questão pessoal, eu sou biólogo e dava aula num curso de física. Profissionalmente, dando aula num curso de física, fica mais difícil de um biólogo progredir. Então teria que lutar por um curso de biologia no campus de Bacabal ou ir embora daqui. Preferi lutar. Outra questão é a dos alunos. Todos sabem que o curso de biologia foi escolhido pelos alunos para ser o curso das Ciências Naturais em Bacabal; porém um grupo de professores optou pelo curso de física. Assim, prometi também a esses alunos que eu iria lutar para junto com eles trazer o curso de biologia, já que eles vinham de uma luta desde de 2010.

PET: E como foi a criação do curso?

Prof. Elídio: A criação do curso foi muito difícil, a princípio o curso que está aí, não é bem o curso que a nós queremos, nós queremos um outro curso biologia. Queremos uma matriz curricular com mais disciplinas de biologia. Existem algumas disciplinas na matriz que compreendemos serem desnecessária para um Licenciado em Biologia.

PET: O que deve ser feito pelos alunos que desejam ingressar no curso de Biologia?

Prof. Elídio: Os alunos que já estão cursando Ciências Naturais com habilitação em Física, devem no sexto período fazer uma opção para Biologia e os alunos que ainda vão ingressar, somente via Enem.

PET: Qual sua opinião sobre o mercado de trabalho para essa área?

Prof. Elídio: Bem, o mercado profissional para professores de biologia é grande. As escolas sempre estão precisando de professores de biologia. Mas estão precisando de bons professores. Professores que se formaram, mas que não tiveram bom desempenho acadêmico não vão ser absorvidos pelo mercado de trabalho por que eles vão ter que fazer uma prova. Portanto, esses profissionais que vão se formar como licenciados têm que ter um bom desempenho acadêmico para poder depois exercer a profissão e até mesmo depois tentar um mestrado, um doutorado. Um bom desempenho acadêmico é essencial para isso.

PET: O curso de Biologia é só licenciatura ou tem opção para ser bacharel?

Prof. Elídio:  Não, é só licenciatura.

PET: O projeto do curso, como ele está estruturado? Ainda vai haver alguma modificação?

Prof. Elídio: O projeto do curso está estruturado junto com o de Ciências Naturais – Física: são três anos básicos e mais um ano, que é um ano específico. Logicamente já começamos a perceber que vamos ter que fazer mudanças nessa matriz curricular no futuro. Uma das propostas nossa para o futuro seria um curso de Ciências Naturais – Biologia, de um ano e meio de matérias conjunta, física, química, matemática e dois anos e meio só de biologia. Logicamente como é uma licenciatura, as matérias de licenciatura e o estágio obrigatório vão estar incluído dentro da mudança.

PET: Qual a importância do curso para a cidade de Bacabal?

Prof. Elídio: A princípio fornecer professores,  professores com qualidade, porque a intenção nossa aqui é formar profissionais com qualidade. Professores que vão estar atualizados, professores que vão saber se atualizar por conta própria. Isso tudo a gente está tentando preparar nesses alunos. É lógico que isso não acontece do dia para a noite, isso vai ser uma caminhada
do curso, o curso está começando agora, como se ele fosse um bebê. Vamos aos poucos implantar nosso sistema de trabalho. Também deveremos focar na questão científica, principalmente na ambiental. A cidade de Bacabal é carente de profissionais que atuem na questão ambiental. Portanto, nós também acreditamos que o curso ele deve focar, também, um pouco na questão científica, principalmente na questão ambiental de Bacabal, na questão de pesquisa mesmo, levantamento de flora, de fauna, trabalhar tanto a questão de formação de licenciados como a questão de pesquisa e extensão.

PET: Quem é o coordenador do curso?

Prof. Elídio: O coordenador é o Prof. Jefferson, do Curso *CN-Física. No nosso ponto de vista teríamos que ter um coordenador para o Curso de CN-Biologia.

PET: E o quadro de professores?

Prof. Elídio: O quadro de professores para o modelo atual, está completo. São quatro professores com titulação de doutor, todos com grande número de publicações, atuantes dentro de sua área. Se formos ampliar, a gente vai procurar buscar professores com a mesma qualificação dos que temos hoje.

PET: Quais são as suas expectativas em relação ao curso?

Prof. Elídio: Que o curso cresça. nós queremos que o curso cresça. Que os futuros profissionais saiam capacitados da universidade, saiam satisfeitos com sua formação. Que possam prestar concurso público e passar. Queremos formar profissionais que se insiram no mercado de trabalho.

*Ciências Naturais

Quer conhecer mais sobre a carreira acadêmica do Prof. Dr. Elídio Armando? Acesse seu Currículo Lattes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s